4º Dia – O JEJUM DA COMPAIXÃO

4º dia – Isaías 58.6

Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo?

Isaías ensinou, com muita propriedade, como se deve fazer o verdadeiro jejum, aquele que agrada a Deus. Naqueles dias, o povo de Deus, em parte, havia se arrependido de suas transgressões. O profeta vaticinou contra eles: “Clama a pleno pulmões, não te detenhas, ergue a voz como a trombeta e anuncia a meu povo a sua transgressão e à casa de Jacó os seus pecados” (Is 58.1), o que gerou no coração do povo quebrantamento e desejo de “se chegar a Deus”.

O povo, mesmo em estado de pecado, queixava-se a Deus dizendo: “Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso?” (Is 58.3). A advertência divina, no entanto, lhes repreende nos motivos pelos quais jejuavam: “jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho iníquo” (Is 58.4); Por intermédio do profeta, Deus declara não se agradar de práticas piedosamente religiosas tais como: deitar-se sobre pano de saco e cinzas, se afligirem e baterem a cabeça em pedras. Ele, todavia, desejava outro tipo de jejum, como está escrito: “Porventura não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo? Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto e recolhas em casa os pobres desabrigados, e, se vires o nu, o cubras, e não te escondas de teu semelhantes?” (Is 58.6-7).

Eis a fórmula do jejum da compaixão. Se assim o fizermos a luz do Senhor iluminará o nosso caminho, Sua justiça irá adiante de nós e nosso caminho será sob a glória do Senhor. Nossas orações serão ouvidas e o socorro do Senhor não tardará em nos acudir. Este é o verdadeiro jejum, e Deus ainda hoje quer que todos nós o pratiquemos.

Pr. Clóvis F. de Avelar – IB do Calvário em Sobradinho, DF

Motivos de oração

  • Para que nestes 40 dias ofereçamos a Deus o verdadeiro jejum;
  • Para que haja libertação e compaixão pelos necessitados;
  • Que nossas orações sejam ouvidas e que a luz do Senhor nos ilumine.

1 comentário em “4º Dia – O JEJUM DA COMPAIXÃO”

Deixe um comentário