Falta-lhe alguma coisa?

Mc: 10:12-22

É incrível a capacidade que temos de nos apegarmos a coisas materiais! Peça a um homem para fazer uma limpeza na carteira, está cheia de papel, mais na nossa cabeça todos eles têm utilidade; a gente vai olhando e guardando, quando percebemos tiramos um ou outro papel apenas.

Quanto às mulheres, é normal ouvi-las dizer: mais isso eu ganhei quando nos casamos, ou ganhei da minha vozinha, mãe, amigo; muitas vezes de alguém que nunca viu, mas na verdade a dificuldade maior não é pelo valor sentimental que aquele objeto carrega, mas, simplesmente pelo apego a este objeto.

Vejam que o jovem do texto vive o dilema de ter que renunciar a sua vida para viver a vida de Deus; ele é um bom religioso, guarda os mandamentos, provavelmente frequentava a sinagoga, seguia todos os protocolos religiosos pensando que isso seria suficiente para herdar a vida eterna; porém, Jesus lhe surpreende: “Falta-lhe uma coisa”, pedindo-lhe que venda tudo que possui e dê o dinheiro aos pobres, então teria um tesouro no céu; então depois de renunciar suas riquezas, deveria segui-lo.

Na caminhada com Deus existe a necessidade de renunciarmos, de nos desapegarmos das coisas materiais e até mesmo o nosso “Ego” para vivermos experiências com Deus; vale a pena renunciar as minhas vontades para viver a vontade do pai, vale a pena renunciar a minha vaidade e meu orgulho para me humilhar diante de Deus, vale a pena renunciar de alegrias momentâneas para encontrar felicidade em Jesus, vale a pena renunciar uma vida de guerras para encontrar paz, vale a pena renunciar tudo e seguir o mestre.

“A renuncia do cristão pode ser até um sacrifício para seu corpo físico, mas para a alma é um refrigério”.  Ellís Montechiari

Deixe um comentário